SUCESSÃO FAMILIAR

Nem todo herdeiro é sucessor; nem todo sucessor é herdeiro

Fernando De Cesare Kolya

Famílias que tem clareza sobre a distinção entre herdeiro e sucessor são mais felizes! Por lei, herdeiro é aquela pessoa que tem ligação sanguínea, ou que recebe o patrimônio como doação em vida ou testamento. Sucessor é alguém escolhido para cuidar da gestão dos negócios. Não é comum vermos negócios familiares em que o sucessor não seja um dos herdeiros, ou seja, na prática, aquele que assume o dia-a-dia dos negócios poderá ser o futuro dono. Mas suceder sem herdar é plenamente possível e deixar isto claro é um excelente mecanismo para policiar familiares e entender que para suceder tem que merecer, pelo critério de competência e ser legitimado pela família.

É comum vermos famílias que preferem não aproximar os filhos e sobrinhos dos negócios da família. Uma geração inteira é formada alheia ao que ocorre na empresa, ou com conhecimento mínimo. Uma das justificativas apontadas é que não se espera que os familiares assumam o negócio, ou seja, que alguém da próxima geração venha a ser sucessor. Ou ainda, que para o negócio dar certo é preciso "blindar" a empresa da interferência da família. No entanto, esquecem-se de que todos serão herdeiros, e que ser herdeiro de um negócio é diferente de herdar uma casa, exige muita responsabilidade. É preciso ensinar os herdeiros a serem donos! Há que se conhecer os negócios, saber dos valores, o que importa para o negócio.

Um outro artigo que publicamos, o professor Fabio Mizumoto esclarece as diferenças entre ser dono da bola e ser dono do jogo. Ser herdeiro quer dizer que um dia será o dono da bola, e assim terá a prerrogativa de definir o que pode ser feito com a bola, que tipo de jogo pode ser jogado e quais as regras desse jogo. Para que ele desempenhe esse papel de dono da bola, as famílias empresárias devem se atentar para o fato de que é preciso formar seus familiares para que um dia possam assumir com destreza o papel de dono da bola.

Na analogia "dono da bola e dono do jogo", se o herdeiro será o dono da bola, o sucessor será o dono do jogo. Ser sucessor quer dizer que será quem irá definir a tática do jogo, escolher os jogadores, mas também será responsabilizado pelos resultados do jogo. Preparar o sucessor pede muito tempo de treino, o sucessor terá que saber como se joga o jogo, terá que conhecer as nuances do jogo, as táticas existentes.

Em empresas familiares é muito comum que o dono da bola também seja o dono do jogo e não há nenhum problema nisso, mas quando se trata de passar para a próxima geração, temos que preparar todos para serem donos do bola e alguns para eventualmente assumir o papel de dono do jogo ou até mesmo, preparar os herdeiros para entender que nenhum poderá ser o dono do jogo. Se os donos permitirem, é bem-vinda a abertura do jogo para os herdeiros praticarem, assumirem responsabilidades, montarem suas próprias jogadas e mostrar que fazem bom uso da bola.

Fazemos aqui um convite para que as famílias empresárias discutam com seus familiares o que é ser herdeiro e o que é ser sucessor. É preciso criar o entendimento sobre o negócio para que todos um dia possam desempenhar bem seu papel de herdeiro. E mais, sabemos que dentre os familiares, sempre há aquele ou aqueles com tino para o negócio e que um dia será o sucessor. As conversas na família são extremamente importantes para dar legitimidade ao sucessor.

*O autor é sócio da Markestrat. Para informações visite www.markestrat.org e www.iniciativanext.com.br

Fernando De Cesare Kolya é Mestre em Administração pela FEA/USP e Engenheiro Agrônomo pela ESALQ/USP. Atua em projetos de governança familiar e gestão estratégica.